Universidade Livre do Professor terá nova sede

Durante encontro com diretores de CMEIs, prefeito Rafael Greca celebra pacto pela Educação

Depois entregar ainda em agosto deste ano a primeira Universidade Livre do Professor, que fica em instalações revitalizadas no Parque dos Tropeiros, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), o prefeito Rafael Greca, candidato à reeleição pelo DEM, anunciou a criação de uma nova sede na região norte da cidade. O anúncio foi feito durante reunião com diretores de Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), na noite da última terça-feira (20/10), em Santa Felicidade, no Clube de Caça e Pesca.  

A Universidade Livre do Professor funciona como um Centro de Desenvolvimento Profissional (CDP) especial. “Já criamos a uma Universidade Livre do Professor na região sul da cidade e agora teremos outra na região norte. A ideia da Universidade Livre do Professor é garantir que a formação continuada dos profissionais da educação se multiplique”, disse Greca.

Na reunião com os professores, Greca expôs os resultados de sua gestão e falou dos seus novos projetos para a área. “Alinhamos nosso plano para a Educação com os professores e mostramos que, no meu coração de prefeito, a Educação é a maior luz e a maior vontade para fazer o máximo pelos curitibinhas”, apontou o prefeito.

De acordo com Greca, o plano para os próximos anos é construir mais 10 CMEIs, implantar mais 25 escolas integrais, uma delas na Caximba e outra no Santa Cândida, fortalecer o projeto Linhas do Conhecimento, que mostra a cidade como um grande livro de história. “A pertinência é elemento importante para cidadania. As crianças e jovens que se sentem pertencentes à cidade, querem influir na vida da cidade, participam da vida na cidade”, apontou Greca.

Outra proposta do prefeito é a inserção do ensino da economia doméstica nas escolas municipais, para que todos aprendam a ser por si mesmos. “A educação completa ensina todos os direitos e todos os deveres”, avaliou Greca.

Veredas Formativas – A formação profissional na rede municipal de ensino é realizada por meio do programa Veredas Formativas, que a partir de 2020 também passou a ofertar vagas à comunidade. As ações incluem cursos, palestras, workshops, seminários, entre outros.

Os temas disponíveis para a educação são variados, desde inovação e informática até primeiros socorros, língua portuguesa e pedagogia na educação infantil.

O programa foi formulado a partir de uma ampla pesquisa, realizada em 2017, com os servidores da rede municipal de ensino, para levantar o interesse e as necessidades em relação aos processos de formação profissional. Do resultado dessa consulta surgiu o Veredas, valorizando a autonomia dos servidores em relação a escolha de seus percursos profissionais.

Investimentos – Nos últimos anos, a rede municipal de ensino de Curitiba recebeu investimentos de aproximadamente R$ 1,5 bilhão por ano. Também ampliou o atendimento na educação infantil, de zero a cinco anos. Foram entregues à população 25 CMEIs. Agora a cidade tem 230 unidades. Reflexos da gestão Rafael Greca.

Desde o início de 2017 até o final de 2019, a gestão Greca colocou em funcionamento 16 CMEIs na cidade. Doze tinham sido inaugurados pela gestão anterior, mas sem condições de atendimento, por falta de infraestrutura e de profissionais. Além de servidores da educação chamados para compor as equipes, foram adquiridos móveis, eletroeletrônicos, cobertores, colchonetes e material pedagógico.

Em 2020, foram mais nove CMEIs entregues, totalizando os 25. Além disso, por meio do novo compromisso com os Centros de Educação Infantil Contratados (CEIs), Rafael Greca ampliou o atendimento a crianças de zero a três anos que aguardavam vaga. O valor pago aos prestadores desse serviço aumentou 77%. As vagas adquiridas foram ofertadas para crianças da lista de espera da rede municipal. O número de CEIs contratados passou de 74 para 95, em 2020.

“A cidade não precisa ser governada, ela precisa ser educada. A cidade tem que ser preparada para a inovação, como também tem que ser preparada para a cidadania, para a reflexão. Os curitibinhas precisam aprender a ler, a escrever, a contar, a raciocinar, a pensar. Precisam ser preparados para o mundo. E os nossos professores os orientam para o correto pensamento, fazendo uso também da tecnologia, da inovação, que só serve se for democrática e inseridas nos processos sociais”, disse Greca.

Confira mais avanços da área da Educação clicando AQUI.